#k-pop Tumblr posts

  • image
    image
    image
    image
    image
    image
    image
    image
    image

    𝐒𝐀𝐍𝐀 𝐀𝐍𝐃 𝐂𝐇𝐀𝐄𝐘𝐎𝐔𝐍𝐆 𝐃𝐀𝐑𝐊 𝐈𝐂𝐎𝐍𝐒.

    𝐋𝐢𝐤𝐞 𝗈𝗋 𝐑𝐞𝐛𝐥𝐨𝐠 𝗂𝖿 𝗒𝗈𝗎 𝗌𝖺𝗏𝖾

    #Sana#Minatozaki Sana#Chaeyoung#Son Chaeyoung#Twice#K-pop#Sana Icons #Sana Dark Icons #Minatozaki Sana Icons #Minatozaki Sana Dark Icons #Chaeyoung Icons #Chaeyoung Dark Icons #Son Chaeyoung Icons #Son Chaeyoung Dark Icons #Twice Icons #Twice Dark Icons #K-pop Icons #K-pop Dark Icons
    View Full
  • View Full
  • hiii ok so i’m going to figure out how to use tumblr properly and fix my blog.. so i need more blogs to follow or ?? mutuals ?? idk how it works on here but rb/like if you like any of these things and i’ll def follow!! 🥺

    • mcu
    • steve rogers !!
    • cap quartet
    • stevebucky samsteve all the quality cap quartet ships yk
    • i actually like most mcu ships tho im not picky!
    • xmcu
    • ace attorney (and narumitsu but from what ive seen it?? goes without saying??)
    • sherlock holmes (i love bbc and acd but i think all the adaptations ive been with so far are Great really!!)
    • lorde
    • bastille
    • k-pop, especially exo, day6, nct, bts, and loona rn!
    • harry potter
    • brooklyn 99
    • music, film, tv shows, and literature in general :D
    View Full
  • image

    a contradição do k-pop: a quebra de padrões como um produto vendido mas, em sua raiz, uma busca por inserir pessoas em caixas prontas

    o k-pop tem se destacado nos últimos tempos não só pelos números de visualizações que alcança no youtube e pela sua forte presença em charts, mas também pelo que trazem as letras de muitas de suas músicas. temáticas de amor próprio e de busca por criticar padrões de corpo e estética. o que, num primeiro momento, é majestoso e elogiável. porém, quem conhece o k-pop de perto, indo além das músicas, mas também assistindo lives dos artistas e os acompanhando, como há anos foi meu caso, vai entender este texto, mesmo que não concorde. há tempos eu me incomodo com algumas contradições dentro do k-pop que me fazem questionar por que o gênero é tão focado em criticar padrões se ele vive disso? vive de reproduzir perfeição em praticamente tudo, no seu comportamento (mesmo que seja impossível, fazendo o que for capaz para limpar a imagem ou impedir que surjam podres e problemas), mas especialmente na estética. eles são como pessoas quase que perfeitas no corpo, e o k-pop é extremamente inteligente em adotar temáticas críticas, pois isso apaga o apego à perfeição e a sua incapacidade de aceitar a diversidade e propagar de verdade um amor próprio. vou me aprofundar.

    tenho me perguntado há muito tempo do que adianta vender quebra de padrões e love yourself, i love myself dalla dalla e etc etc, da forma que for, como se essas fossem verdadeiras crenças dos artistas e das empresas, como se eles estivessem lutando com toda influência que possuem para construir um mundo mais justo e menos preconceituoso e estereotipado, se para eles estarem onde estão foi necessário se adequar a uma série de coisas em relação a corpo, rosto, e estética em geral, que precisa ser a ideal. e eles seguem sendo os adequados. muito se fala com relação a uma “melhoria” no tratamento das empresas de k-pop com os seus artistas. os contratos podem realmente ter melhorado em alguns pontos, mas é inegável que ainda vemos que a questão estética é muito mais preocupação da indústria musical coreana do que pontos como a voz e o talento das pessoas. você não pode somente ter talento, você PRECISA saber entreter e ter um rosto ideal para estar na linha de frente do grupo, chamando atenção. a estética segue sendo sim uma das coisas mais importantes ao k-pop pois, além de estar presente na origem (na “fábrica dos idols”, no momento da seleção), também está presente na boca de muitos deles pós debut. raramente você vai ver um idol admitindo qualquer outro rosto que não seja o maquiado. pelos, bigode, espinhas e etc, quando alguém mostra isso (algo completamente natural do ser humano?!) os fãs logo querem colocar essa pessoa num altar: olha como ele (a) é diferente! sabe assumir suas marquinhas. um ou outro no meio de muitos, e assim aplaudimos uma cultura que em regra, apresenta muito mais padrões do que a quebra dos mesmos, e quando ela apresenta uma exceção, mencionamos equivocados como ela é revolucionária!

    e aí você pode parar e pensar, querendo rebater o que acabei de dizer: por que eu não posso parabenizar alguém que assume suas imperfeições e marcas naturais no rosto, corpo e afins? o problema não está nisso, mas sim na contradição que vem com outras atitudes dessa mesma cultura. que atitudes são essas? vamos lá.
    hoje em dia, boa parte dos grupos ou vivem usando ou já usaram como slogan, tema para suas músicas, assuntos como autoaceitação, amor próprio e crítica a padrões. e fazem campanhas, e falam disso como se fosse algo que eles vivessem tão ativamente em suas vidas e como se estivessem REVOLTADOS com tudo isso. porém, retorne ao que eu disse anteriormente. essas pessoas estão muito mais ligadas ao padrão do que tudo, isso pois mesmo em lives com seus fãs (que era para ser um momento descontraído, onde eles são eles mesmos, pelo menos é o que dizem por aí), mesmo nestes momentos o que mais se escuta da boca de k-idols é: “vou tomar cuidado para comer menos, assim quando voltar a ver vocês pessoalmente, não estarei tão feio”; “o que vocês estão achando do meu rosto?”; “o que vocês querem que eu faça?”; “qual cor vocês querem que eu pinte o meu cabelo?”; “está bom assim?”; “vou comer menos”; “estou parecendo um porco”, e por aí vai.

    eu gostaria de explicitar uma coisa sobre primeira fala em especial. uma fala que inclusive já escutei de um idol muito famoso, mais de uma vez: “vou tomar cuidado pata comer menos, assim quando voltar a ver vocês, não estarei tão feio”, nela vemos presente muuuuitos estereótipos. um deles é a ideia de que ser gordo é feio. ou que se você comer muito, ficará feio. do que adianta fazer CAMPANHA DE AMOR PRÓPRIO E FALAR DISSO EM MVs E ÁLBUNS se a sua atuação consigo e com os outros é completamente de ir contra uma aceitação de um corpo que saia do padrão? isso ajuda EM QUE? é contraditório. a gente pode se deslumbrar e aplaudir o glamour de tratar desses assuntos nos álbuns, nos clipes, uau, isso vindo de dentro da rígida Coreia, mas e daí? ainda é contraditório. se ao menos tivesse uma harmonia entre o que canta e o que diz e faz quando está sem o microfone na mão, na função de pessoa comum, de ser humano com crenças e coisas para se defender. e é ridículo e também preocupante, porque acaba por parecer que tudo virou um mero produto, que no fim quase ninguém está acreditando na possibilidade de se amar. ou de ir contra a gordofobia, de quebrar com padrões estéticos de forma ATUANTE, profunda, verdadeira. já que as pessoas aclamam esses artistas e dizem que eles são exemplos, então estamos falando de pessoas que atuam contra preconceituosos e estereótipos mas que… err… não praticam isso? ou só discursam sem colocar as coisas de fato em prática? que “ativismo” seletivo, né? só insere crítica no que vende… a que é a música. ah, interessante.

    nessa fala que é por vezes frequente na boca de idols (“vou tomar cuidado pata comer menos, assim quando voltar a ver vocês, não estarei tão feio”), a gente também vê outra coisa: a questão deles influenciarem seus fãs a agir dessa forma com eles (e consigo mesmos). ou seja: um fã vai chegar nele “podendo” cobrá-lo de um corpo perfeito porque ele mesmo já prometeu isso aos fãs várias vezes, e o fã também cobrará de si mesmo. e aí, do que adiantou a “campanha” e os mvs? ela te parece sincera, com uma pessoa que CANTA O QUE CANTA, E ACREDITA NO QUE CANTA? eu não vejo isso. e isso é algo que ocorre com vários artistas, vários deles assumem pautas que no fim eles próprios, infelizmente, estão longe de atuar. seja em prol dos outros e também de si mesmos. isso pois estão tão mais ligados e íntimos do contrário (do padrão, estereótipo), que é difícil fazer a quebra. mas se é difícil, se você nem mesmo consegue fazer isso, por que pinta uma imagem de revolucionário (a) sendo que nem isso você é?

    no fim, o assunto importante vira produto e agrega na marca dos artistas, que acabam por parecer ativistas. mas do que adianta você sair em jornais, subir em charts, ter matérias sobre, se na sua vida isso não foi quase nada aplicado, primeiramente PARA VOCÊ. uma luta contra padrões pode ser difícil, mas se você os odeia, mesmo que na prática não consegue ir contra, você vai viver lutando contra isso até que isso seja destruído, ao invés de ser o primeiro a sair (re)afirmando tudo que já existe de estereótipos físicos, estéticos.

    será que podemos dizer que essas pessoas agem de acordo com o que cantam se infelizmente, quando ele (a) está falando sozinho (a) - sem ser através das músicas que às vezes ele nem mesmo escreveu - deixa evidente que a sua filosofia de vida é completamente contrária a tudo que prega quando canta no microfone? reflita.

    mais contradições

    . música com slogan “todos devemos nos aceitar como somos” X eu me mudo conforme o gosto dos meus fãs, cabelos e etc, sempre a gosto deles, nunca a meu gosto. o que fortalece a ideia de: ser submisso às opiniões alheias é algo normal! fazemos isso.

    . música com slogan “todos devemos nos amar” X se eu estiver um pouco acima do peso (do ideal coreano) sofro com o que a empresa vai falar para mim + o que alguns fãs vão falar + o que eu direi a mim mesmo. fortalecimento da ideia de que ter um pouco mais de peso te torna reprovável pelas pessoas, logo você deve evitar isso ou se matar para voltar ao “normal”, ao padrão magro.

    . música com slogan “todos devemos nos valorizar” X peço desculpas aos fãs quando saem notícias e boatos de que eu poderia estar namorando, dizendo que me desculpo caso tenha “machucado” eles. fortalecimento de ideias de que se permitir ser uma marionete dos outros está okay. agradar também.

    . música com slogan “fale por si mesmo” x digo coisas selecionadas e não assumo pautas de assuntos mesmo se esse for o meu desejo interno pois o que importa é o que a minha empresa quer. quem está falando por si mesmo? não estou vendo.

    . “todos somos lindos. somos contra a gordofobia, amamos todos os corpos” X se eu estou engordando um pouco, e isso nem está aparente, me chamo de “porco”, ou chamo alguém próximo disso. e pior: não se vê pessoas que não sejam magras e de corpo “perfeitamente padronizado” no início de um grupo (pois eles recrutam os “perfeitos”!) e se for o caso de alguém estar com mais de peso, ahh, em breve você verá uma mudança RADICAL no físico desta pessoa. pois não há espaço para a diversidade. porém, eles dizem que há? que são amplamente abertos à diversidade de tudo (gênero, físico, rosto, jeitos de ser) e que instigam o amor próprio. como eu digo isso sendo que vigio o meu corpo e, além disso, a minha empresa vigia o corpo dos artistas do início ao fim de seus contratos? como existe aceitação de pessoas com qualquer corpo se eu busco o padrão o tempo todo? em massa, sem exceção. como existe aceitação e luta contra isso se eles vivem repetindo frases de crítica a seus corpos e a físicos que não sejam magríssimos? isso é hipocrisia sim.

    só notar também que os mais magros e dentro do padrão que são os queridinhos dos fãs e logo da empresa. e só notar como a tendência é um(a) idol emagrecer cada vez mais.

    é sempre o que a empresa quer, o que a empresa manda. e neste cenário, não resta dúvidas de que boa parte do que esses artistas assumem como pautas para as músicas são coisas que nem eles mesmos seguem em suas vidas. e se seguem, ou seguiriam, nem mesmo deixam evidente isso enquanto indivíduos. pois é óbvio, o grupo, e não o indivíduo, sempre importará mais. o coletivo que anula tudo que for individual. eu deixo pra lá minhas vontades pessoais, eu me mudo por tudo, deixo de expressar as coisas que penso e acredito, pois se eu fizer isso a empresa vai me censurar. quem fala é ela por mim. nunca abro a boca. eita, será que o que está nas letras realmente é o que o seu artista pensa e sente?

    para “tirar a prova”, observe mais atentamente coisas do passado ou de agora, e reflita se o artista que você escuta vive de fato o que ele diz viver. se a pessoa expressa isso, se ela coloca isso em prática e se luta de verdade pelo fim dessas coisas ruins tanto quanto diz na hora de promover seu álbum junto de sua empresa. ou se parece existir uma disparidade entre o que ela canta e o que ela expressa por fora.

    se você não está pronto para assumir uma pauta séria e importante, não faça isso e não use os assuntos como produtos a serem vendidos.

    eu já notei diversas contradições e muitas vezes os k-idols nem mesmo sabem do que falam as músicas que cantam. isso é triste, pois parece que a música não é mais uma arte onde quem canta expressa através da voz o que de fato sente da música. se nem ele sabe o que está nela, parece que ele é simplesmente uma marionete que foi posta ali para recitar o que foi escrito por um ou outro; marionete contratada para funções específicas: ou canto e improvisa no resto, ou canto e dança. e nunca para expressar VERDADEIRAMENTE o que crê, o que critica, o que imagina do mundo que vive.

    acho que a maior crítica que faço aqui vem do fato de que não acho legal e bonito pegar assuntos importantíssimos e sérios para chamar atenção quando, em contrapartida, as suas atitudes são de ter MUITO mais preocupação com padrões e com estética. é como se você tivesse um tubo e este tubo tivesse 100ml e dele fosse resultar a influência que seu ouvinte receberá de você. você coloca 20ml de crítica em música, o que parece super brilhante e incrível, pois sua música fala desses assuntos!!! 😩, mas através suas ações você joga no tubinho + 80ml, porém esses 80% do tubo não é sinceridade, são atitudes vazias de crítica, e por sinal só replicam mais pensamentos estereotipados. além disso, a minha segunda maior crítica é que… se ao menos as pessoas dentro do k-pop não fossem treinadas para serem talentosas. se você recrutasse talentos natos e pessoas capazes desde novas ao invés de tentar fabricar isso. se esse treino não tivesse como fundamento reproduzir tanto padrão… quem sabe eu não criticaria. mas de nada adianta ter uma marca de crítico e ativista por fora se, quando as pessoas precisam da sua voz ou se quando você abre a boca sozinho, em dias comuns, por vezes você só sabe expressar como está ligado à estereótipos e pergunta o que seus fãs estão achando de você e o que pode fazer para melhorar por eles, não por você. é como se você um SAC (serviço de atendimento ao consumidor) 😂.

    acredito que isso possa ser difícil de ser enxergue pelas pessoas, em especial os fãs de k-pop, pois essa contradição é apagada por uma intensa propaganda feita pela empresa (e fãs). ninguém enxerga contradição quando os olhos estão brilhantes e repletos de idolatria e até beirando a cegueira, quando a música é linda e profunda, mas tudo para e acaba nela, não tendo resultado (que poderia ser MUITO MAIOR) na prática. sabe, SEJA LOGO SÓ UMA COISA! não assuma uma marca do que você não é. tenha personalidade, mas não para viver agradando, mas sim para deixar a sua marca no mundo com o que VOCÊ produz e o que replica de influência no mundo. não pela música e melodia somente, mas pelas suas atitudes que… influenciam as pessoas muito mais do que as letras da sua música.

    a autenticidade é o que faz a arte e a torna original, e a partir do momento que um artista se vale de temas que nem ele acredita e luta com VONTADE contra/a favor, isso é no mínimo reprovável. ele virou um boneco contratado para mexer o corpo e abrir a boca para cantar, porém parece que qualquer um poderia estar ali no lugar dele? no k-pop não se vê pessoas com talento se juntando para criarem o que acreditam que deva ser a arte, vemos pessoas que estão ali para, antes de tudo, servir às ordens e serem limitadas, fazer movimentos que a empresa fez o roteiro para fazer, é uma coisa de simplesmente servir a papeis que lhe forem oferecidos e no fim ganhar a fama sendo que a sua arte tem pouco do que você sente e acredita, pois as suas atitudes vivem focadas no que os outros precisam de você. é como se o k-pop tivesse buscado desde o início a fórmula perfeita para criar algo que lucre, divirta e ainda supra dores existenciais das pessoas, tal como faz (mas isso é assunto para outro texto…).

    e embora isso seja evidente, é mascarado por uma intensa propaganda de um grupo de artistas engajados, empresa que posta notícias de como eles falaram de assuntos sérios no álbum e mv (!!!), mas que, quando vão fazer uma live, inclusive quando tragédias e coisas ruins estão acontecendo, só servem para entreter e assumir o papel de divertir os outros, como se não tivessem outra função, como se a reflexão ficasse presa só no álbum.

    porém, se você for parar para pensar, é óbvio que a crítica social e o “despertar” está somente nas músicas. a produção dela não envolve só uma pessoa e difere muito de chegar, ligar uma câmera e emitir opiniões próprias, mostrando que possui senso crítico. você pode construir um álbum, tomar créditos pela crítica social sendo que nem mesmo reflete ou acredita fielmente no que está ali, pois óbvio: é o que a empresa quer, fazer algo complexo e que possa ser aclamado, mas algo que está distante da compreensão dos próprios “artistas” (???). e eles, qual papel eles cumprem nisso: só o de seguir as ordens da empresa “eu vou segui-la! essas são as normas!”. e essa é a melhor forma de lucrar sem largar os padrões. do lado de fora e de dentro sou um reprodutor diário de padrões, mas quando toco no microfone recito palavras que nem eu mesmo reflito e internalizo. e óbvio, o que acaba por valer mais é o que está na música! padrões… será que estão de fato interessados em quebrá-los?

    View Full
  • 김예준(KIM YEJOON) - ‘LOVE DROP’ (LIVE VISUAL) Official MV

    what a voice and what a great new song here right now, love it and him so much !!!!!!!!!!!!!!

    View Full
  • Cheng Xiao - July 13th 2020

    View Full
  • happy B-day 13th of July to our cute Yebin from DIA and UNI.T here !!!!!!!!!

    View Full
  • I woke up as I waited, bleeding slow
    There was no way to make all this blow over, so
    I started writing the ending, I said too much
    And you just kept on pretending for both of us

    [ SONG - The Birthday Massacre - Secret / MV -  SUNMI(선미) - pporappippam ]

    View Full
  • - Yoona (SNSD) - icons

    View Full
  • words, and how they are spelled:

    normally: shiny
    k-pop: SHINee

    normally: beast
    k-pop: B2ST

    normally: sister
    k-pop: sistar

    normally: twenty-one
    k-pop: 2NE1

    normally: newest
    k-pop: NU’EST

    normally: bacon
    k-pop: baekhyun

    View Full