#meusescritos Tumblr posts

  • blogespontanismo
    18.10.2021 - 3 hours ago

    Segurando firme

    Segurei firme em minhas mãos Para que assim não pudesse soltá-la Dedos entrelaçados entre si Entre meus sonhos e eu mesmo

    Segurei firme meu coração Para que assim ninguém pudesse feri-lo Palma em contato íntimo com o pulsar Entre o amor e a paixão que me cerca

    Segurei firme meu orgulho Sobrepujei com humildade e caridade Tato empático sobre as realidades Entre a fé e a missão a mim concedida

    Segurei firme a esperança Enaltecendo diante das amarguras A visão positiva em confronto da realidade Entre a saúde mental e a loucura

    - BlogEspontanismo

    View Full
  • sentimentalizando-br
    17.10.2021 - 5 hours ago

    Em homenagem a você

    Hoje é seu aniversário e eu não te mandei mensagem pois nossa trajetória juntas acabou a mais de um ano. A mais de um ano não conversamos mais. Eu já superei essa “separação” a muitos meses, mas não é essa a questão. Não tenho mágoa, hoje eu sei que a gente se fazia mais mal do que bem. Nos tornamos a válvula de escape uma da outra, jorrando frustrações e tristezas aos montes. Mas o meu amor por você existe. Sempre existirá. E hoje, que é seu aniversário, assisti o seu filme favorito, “uma questão de tempo”. Lembro que você sempre falava dele e eu nunca havia assistido, acredita? Mas hoje, eu fiz uma homenagem a você. Aos seus defeitos e qualidades. A sua existência e a parte significativa que você se fez presente em minha jornada.

    Feliz aniversário.

    View Full
  • superalogocara
    17.10.2021 - 1 day ago

    Me Deixa, Porra!

    Só me deixa no meu canto não precisa vir procurar nem esbravejar se eu não ter te mandado um oi. Eu não quero mais incomodar ninguém, com tanta tristeza e pensamentos negativos, com minha vida negativa que suga tua energia positiva. Só me deixe sozinho, porra. Deixe a escuridão da melancolia me sufocar até a morte, que eu não incomode mais ninguém com as mesmas coisas, a falta de ter alguém junto da falta de grana e a maldita fobia social e transtorno ansioso depressivo. Só me deixe, caralho! Deixa que eu desabafe com a psicóloga no próximo mês, se é que meu plano de saúde vai liberar desta vez. Mesmo que eu não possa jogar meu videogame como antes por ter perdido a tv do meu quarto, mesmo que eu não tenha mais saúde e dinheiro para jogar futebol 4x por semana... Só me deixe, eu não estou só, nunca estive só... Deus está comigo, e toda vez que precisei de alguém e não vieram, ele estava do meu lado e eu não queria enxergar. Toda vez que eu estava quase executando o suicídio e não conseguia era Deus que me segurava, e não os amigos que diziam estar comigo pra tudo mas deixam de me responder de propósito e põem culpa na correria do dia a dia. Eu não quero mais ninguém, porém quero que todos sejam felizes, inclusive minha família que nunca me apoiaram ou deram o acolhimento que tanto precisei...Só Deus estava lá, e sempre estará até no fim dos meus dias... Mesmo que eu não resista e acabe executando o suicídio, Deus não me abandonará, ele sabe das minhas dores e mesmo que eu definha no Vale dos Suicidas ele jamais deixará de me amar, e eu jamais deixarei de agradecer, por tudo que me ajudou quando ninguém mais esteve pra ajudar!

    View Full
  • superalogocara
    17.10.2021 - 1 day ago

    Toi

    Quando a carência bate

    Vem com ela o cheiro de churrasco

    O cheiro de perfume caro

    O prazer de um flerte natural.

    Quando a solidão bate

    Vem com ela a vontade de festar

    Reencontrar velhos amigos

    Beber e cheirar até o entupir o nariz

    E dormir sabendo o quanto eu era feliz.

    Hoje não saio mais pra rolê

    Não tenho dinheiro nem disposição

    As vezes minto que é culpa da depressão

    As vezes finjo também que sei mentir.

    Demorei para guardar o monstro na caixinha

    E a psicóloga vai querer libertá-lo dali

    Se esvaindo a paz e vindo a indignação

    Encontrando alguém, depois me deixando no chão

    Quando a felicidade bate...

    Não lembro mais o que é ter essa leveza

    Se todo riso vem consigo tristeza

    Eu, eu mesmo e minha vida de ponta cabeça!

    Esperando que um anjo ruivo caia do céu

    Diga que me ama e me leve pra cama

    Então me traga em casa dirigindo muito bem

    O amor platônico sempre foi meu requiem.

    View Full
  • queridamorena
    15.10.2021 - 3 days ago

    Tá foda, tá tenso, tá corrido, mas, tô de pé. Gratidão, Senhor!

    @queridamorena

    View Full
  • literaturae
    14.10.2021 - 3 days ago

    Todas as vezes que te via meu pés me levavam aos céus, então hoje resolvi calçar meias

    View Full
  • literaturae
    14.10.2021 - 3 days ago

    Decadência

    Estado do que está começando a se degradar e se encaminha rapidamente para o fim, para a ruína.

    View Full
  • literaturae
    14.10.2021 - 3 days ago

    Quantas vezes é necessario chorar na frente de alguém para que isso seja entendido?

    View Full
  • literaturae
    14.10.2021 - 3 days ago

    Varias vezes fiquei triste por ver o outro chateado e quando era ao contrario nada podia ser questionado.

    View Full
  • literaturae
    14.10.2021 - 3 days ago

    Tudo vem, tudo se vai.

    View Full
  • menina-de-oz
    14.10.2021 - 4 days ago

    De novo não consigo respirar, o ar vai se esvaindo pelo espaço, me sufocando com a minha própria reza, suplico pela minha alma, me esqueço como deveria respirar, parece uma eternidade, até que finalmente consigo sentir o ar adentrar meus pulmões, pouco a pouco vou retornando ao meu corpo e eu consigo ter consciência de que estou viva ainda.

    Menina de Oz

    View Full
  • arte-que-liberta
    14.10.2021 - 4 days ago

    Mar de Rosas

    Todos falam que a vida não é um mar de rosas, mas eu discordo.

    A vida é um mar de rosas, rosas espinhentas,

    rosas cujo o veneno é letal,

    seus espinhos perfuram a alma.

    e a dor… a dor é intensa.

    o medo e o  pavor tomam conta.

    não há saída, você só afunda e se afoga com o próprio sangue .

    View Full
  • brunoronald
    14.10.2021 - 4 days ago

    Lenna, passou o resto da tarde tentando se esquivar do exercícios, mas o professor a via fazendo corpo mole e se zangava e a incentivava a não parar.  No Queimado, ela foi a primeira a ser pega e na corrida ela nem chegou a completar sete voltas, mas fingiu muito bem que tinha feito isso.

    Mesmo com pouco esforço Lenna, suou , tanto pelo calor como a  sua movimentação mesmo que lerda. E ela agradeceu aos céus quando os treinamentos se encerraram.

    As garotas iam para casa a pé, já em hora quase que crepuscular, então o brilho do sol e sua força  se encontrava diminuta e o ar ameno vinha de instante em instante circular ao redor  as refrescando. Era um caminho até que longo a volta a casa dos Michelsen, passando por parques com arvoredos e avenidas tumultuadas.

    Lenna – Não posso nem andar sem que minhas pernas tremam e magoe os calos dos dedos. Que dia horrível .  Quero só chegar em casa tomar um banho quente e me estirar na cama. Não aguento mais dar um passo. Stefana – Estou  escutando você reclamar desde a hora em que pós os pés na escola e eu não a vi você fazendo um esforço para valer.

    Lenna –  Eu não gosto de ficar suada , e  eu tenho preguiça , sou sensível e  eu não estou acostumada . Eu fiz o que o meu corpo permitiu.

    Sefana – Voce me  disse que a sua mãe falou  que o seu índice de açúcar no  sangue estava alto e o colesterol também  e que o médico responsável pelo exame recomendou  que fosse buscar realizar alguma atividade física ou reduzir ou cortar  o consumo desses doces e salgados para evitar qualquer problema de saúde futuro. Você teve uma boa oportunidade hoje de perder umas gordurinhas.

    Lenna – Eu não vou te contar mais sobre meus exames médicos, se não você vai ficar em cima de mim  me vistoriando  e tentando me regrar. Voce se cansou ?

    Stefana –  Me cansei um pouco , mas a gente ainda tem que voltar pra casa a pé , se você desmaiar no meio do caminho eu não vou te guinchar! Lenna – Eu não estou tão morta assim, viu ! Stefana - Deixa de ser orgulhosa , você ta acabada ou pelo menos atua como se estivesse  , mas  falando sério,  eu sei que você tem pouco folego para exercícios  e se você não aguentar ir para casa a gente liga pro seu pai  e  pede uma carona. Quer ligar ? Lenna – Sim.

    Ligaram para ele, provavelmente a essas horas, o pai de Lenna ja teria acabado a reunião com o novo sócio . E tinha mesmo, estava muito feliz e contente ao telefone, porque agora ele iria abrir mais duas lavanderias, só que em outra cidade. Não demorou muito para ele chegar na sua boa e velha van, que era da empresa, talvez você se pergunte porque uma loja de lavanderias teria uma vã, mas é porque nessa lavanderia os clientes mandam lavar a roupa suja e os entregadores devolvem limpa, isso mesmo na lavanderia do Sr Santiago Michelsen tem entregadores de roupas lavadas, é um sucesso inovador!.

    A van dos Michelsen  tinha um cheiro forte de sabão e detinha  várias roupas envelopadas nos bancos e no chão,  portando um papel com o endereço do dono.  Santiago antes de ser um empreendedor trabalhava  em transporte escolar. Levava os alunos da escola para casa . E ele adora vans  já teve quatro em épocas diferentes   e agora tem quatro de novo  só que simultaneamente e não para si mas para sua empresa e ao  buscar as garotas , não havia como não rememorar de seu oficio anterior.

    Lenna e Stefana chegaram em casa acompanhadas de Santiago.  Paulina quis abraçar sua filha mas   ela desviou e disse : - melhor não , estou toda grudenta .  Na verdade Lenna não queria ficar embaraçada ao ser abraçada pela mãe na frente de sua amiga.

    Lenna foi tomar banho, em seguida Stefana.  Na janta Santiago  abriu uma garrafa de cerveja e comemorou junto a Paulina  , eles pediram pizza quatro queijos,  arepa  e pasteizinhos , parecia mais uma lanche que um jantar.  Lenna tomou  suco de lulo e Stefana de graviola . E Lenna reforçou  aos meus pais que a Stefana ia dormir por tempo indeterminado  ali por causa do ataque de cupins no o seu quarto . Stefana morava em apartamento  e ela foi questionada pela  a curiosidade de  Santiago que queria saber  como os cupins escalaram o prédio até o quarto dela. Stefana disse que não sabia a razão .

    Lenna foi  aconselhada  a Paulina  para não exagerar na comida. Stefena comeu o que viu e , Santiago a  elogiou ela por ter tanto apetite e não fazer cerimônia .  

    No quarto as garotas ficaram conversando asneiras , tipo qual o ator dentre as series , era o  mais  bonito , se eu deviam  ou não fazer mechas californianas nos meus cabelos ,qual cor de unha devia pintar para o show do Cry Of  The Kraken  e  elas foram dormir  logo após discurso que Stefana ia fazer para Lenna no seu funeral  quando  morresse de velhice . É assunto estranho , mas de vez em quando , as pessoas entram em temas assim sem perceber. Stefana - Não posso falar que você era minha amiga na adolescência.  Imagine eu ir até o púlpito do velório com o meu rosto imutável de dezesseis anos e dizer que estudei com você , que fizermos tarefas de casa juntas . As pessoas ficariam incrédulas , e me removeriam dali.  

    Lenna – Eu confio em você para falar de mim no meu enterro , não imagino uma pessoa mais capaz, se a nossa amizade durar uns  oitenta anos .

    Stefana – Acha que vai  morrer só com  oitenta ?

    Lenna – Não tonta,  eu tenho quinze , se nossa amizade durar oitenta anos , eu vou ter noventa e cinco.  Mas , eu realmente não sei quem falaria melhor de mim que você!

    Stefana – Talvez seus filhos.

    Lenna – Talvez.  Será mesmo que nossa amizade vai  durar tanto tempo ? Da adolescência a Obsolescência ?

    Stefana – Eu não pretendo largar do seu pé fácil .

    Lenna –  Há ! Estamos conjecturando um futuro onde meus filhos não sabem que eu possuo uma  melhor amiga que  foi imbuída de  vida eterna e por esse motivo não pode aparecer no meu velório e dizer que já me conhecia de longa data . Para entrar no meu velório nesse caso , supondo que nenhum dos  meus parentes não a conheçam ,  talvez você  devesse se passar por minha afilhada por parte de uma prima  distante ,  uma bandeirante vendedora de biscoitos que gostava de conversar com velhinhas e que vendia biscoitos sem açúcar  para mim antes de falecer e que passava horas conversando comigo e se afeiçoou .  Pode dizer que entrou no enterro por engano achando que era um encontro de góticos.

    Stefana – Se as pessoas de sua família fizerem em um lugar restrito  eu teria que acompanhar de longe , mas no caso de cemitérios , se for um público eu vou poder me aproximar e falar algumas palavras quando o padre pedir para que as pessoas emocionadas discorram sobre a falecida. Se você quiser facilitar a minha entrada no seu enterro você tem que falar de mim para os seus filhos .

    Lenna –.  A gente vive tirando fotos juntas , e provavelmente  tiraremos muitas mais não tem como meus futuros filhos não saber quem você é  .  Toda a minha família verá que você Stefana  que me  acompanhava da escola   até  a minha faculdade , do  meu mestrado ao  meu doutorado ,  do meu noivado ao meu casamento , não virou uma mulher como eu , mas permanecia uma garota... certo e dai, o que eles fariam  se suspeitassem de que eu tenho uma amiga que não envelhece ?

    Stefana – Sei lá.  Acho que  fotos que tiramos e tiraremos  juntas durante  o decorrer do tempo, serviriam alvo de muitas duvidas entre quem visse seu álbum.

    Lenna – Quero que você organize meu enterro !

    Stefana – Credo !. Que quer que eu faça  ? encha a porta do  seu caixão de fotos dos seus atores favoritos é ? Que  a decoração  seja cor de rosa ? . Seus filhos , não vão deixar eu fazer isso , pode ter certeza.

    Stefana atuou com a voz afetada.  

    Stefana - Ah ! a Lenna, foi uma grande amiga minha , me dava péssimos conselhos , eu a conheci quando ela tinha... dez  anos ? e eu quatrocentos e bolinhas ,  e eu a vi aos poucos virar uma velha carcomida e doida, com a cara murcha ,  até o dia em que a  morte fez o favor de levar sua alma para o purgatório…Como eu sou imortal , presenciei essa velha caquética em muitos momentos de sua juventude.

    Lenna - Você é horrível! Esse assunto está mórbido inclusive, melhor trocarmos as lâmpadas das nossas ideias e  buscar um assunto novo.

    Stefana –  Ah! sua mãe limpou o colchão de ar , para que eu pudesse dormir nele. Agora que eu vi ele aqui ao lado da cama.

    Lenna – Quer dormir nessa coisa horrorosa?

    Stefana – Não podemos é continuar dormindo na mesma cama né ?

    Lenna – Por mim tudo bem .

    Stefana renasceu uma discussão que elas haviam acabado de encerrar a pouco tempo atrás.

    Stefana – Quer  mesmo pintar a unha de azul ciano para uma show  noturno ? Sério isso?

    Lenna – Stefana , não começa a implicar com  as escolhas de esmalte que eu quero usar , por favor.

    No dia seguinte, uma sexta feira  levemente nublada , com um frio bem-vindo , as garotas acordaram e rumaram para o colégio novamente , mas quase sem ver o sol, que estava desaparecendo  , em coberto pela rede de nuvens aveludadas que detinham sua luz como um escudo.  O tempo frio fazia Paulina espirrar , espirava tanto que se desconcentrava no transito , e como sempre , uma mãe bem preparada tinha seus remedinhos dentro do porta luvas, para essas eventualidades.

    As Meninas chegaram no colégio e logo se juntaram aos seus grupos de amigos. Na Sala elas  receberam  a notícia do diretor  que foi avisar pessoalmente  que elas  teriam um professor de história novo a partir de hoje  e  isso foi um tanto repentino e  não foi dito o motivo do afastamento da professora substituída a Giane  que era muito apreciada entre os alunos . Sempre que alguém tentava perguntar o motivo do afastamento  de Giane o diretor desconversava e parecia bastante abalado. Logo em seguida depois do aviso, breve e rápido  o diretor chamou o professor novo para entrar na sala , e pediu para que todos se levantassem para recepciona-lo. A sala parecia um pouco preocupada com a situação da professora antiga , por isso o professor novo não encontrou rostos muito felizes ao entrar.  

    Diretor – Com vocês, o professor Friedrich Berna

    Friedrich aguardou o diretor o  convoca-lo para poder aparecer ,  enquanto isso ele  esperava atrás da porta.

    Diretor – Ele é um homem muito educado e com solenidades excessivas . Só quis entrar após o meu discurso.

    Friedrich , abriu a porta e os alunos  ficaram um tanto intrigados , ele se vestia de uma maneira um pouco antiquada , parecia que tinha vindo de outra época e se teletransportado acidentalmente para o futuro onde não fora avisado do que é a moda atual. Ele se vestia simplesmente como um professor  e aquilo era deveras incomum , pois  docentes uniformizados no ensino médio é uma coisa um tanto que inusual. E os alunos de tanto se acostumarem com professores vestidos de roupas casuais , estranharam aquela figura que prematuramente julgaram de excêntrica .

    Mas havia uma aluna que foi arrematada , pelo estilo e aparência do seu novo mestre. Lenna, ao ver o Friedrich e suas particularidades , se encantou de uma forma que sentiu seus nervos se esfarelarem . E ela ficou incomodada e ao mesmo tempo feliz de estar na mesma sala que ele. Incomodada consigo mesma , pois seus olhos insistiam em focar no rosto de Friedrich , parecia algo involuntário . E feliz de estar na mesma sala daquele homem de presença e aura distintíssima das outras. Desejos disformes era o que ela tinha em si , ela queria muitas coisas , tantas e tantas que ficou tonta com a quantidade de querer que apareciam sempre  incidia seu olhar fervoroso sobre Friedrich .  

    Então Lenna ensimesmada   ficou a ver o que eles poderiam ter de comum . Ele tinha olhos negros e ela também , eles tinham tons de pele parecido e cabelos parecidos.

    Lenna teve outros sintomas  fisgadas intensas na sua barriga semelhantes a cólicas e seu coração com arritmia , descompassado. E para saber que sensação inédita era aquela que acontecia em seu corpo , Lenna  queria consultar-se com sua amiga Stefana em particular

    Lenna deu uma cutucada na  Stefana  que estava na cadeira a direita ao seu lado. Sinalizou que  precisava  sair da sala para conversarem no banheiro . Lenna dirigiu-se para o Diretor e pediu para que fosse liberada ao toalete para lavar o rosto pois ainda estava com sono. O diretor mandou  ela esperar até ele terminar de apresentar o novo professor, que aproveitou e fez umas perguntas aos alunos sobre sua matéria para testar o  nível.   Friedrich - Então quem aqui pode me dizer quando foi a revolução colombiana? Todos da sala levantaram a mão , ele começou fazendo perguntas fáceis depois foram ficando mais difíceis com respostas mais especificas. Lenna  levantou a mão o mais rápido possível para responder , mas  isso não adiantou ,falaram mais rápido que  ela que havia esperado a aprovação do professor para verbalizar . - 1989 a 1902. disse alguém no fundo da sal; Friederich - Isso mesmo ! É foi guerra muito longa conhecida como a Guerra dos Mil Dias . Lá vai mais uma . Quanto foi a guerra civil colombiana ? Ele disse enfaticamente : guerra civil. Rubita – ela começou em 1964.

    Friederich - E que ano terminou ?.

    Rubita – Não terminou , ela acontece até os dias de hoje.

    Friederich - Boa ! Essa guerra já existia muito antes de vocês nascerem e é provável que não termine até depois que morrerem. É um combate entre guerrilheiros  revolucionários e governo . Outra, outra . Quem pode me dizer , qual nome da linha de defesa fronteiriça que separava a França das invasões germânicas na primeira guerra mundial ?

    Ninguém levantou a mão.

    Friederich – Há , ninguém sabe ?. É a Linha Maginot ...Ela só funcionou durante a primeira guerra , na segunda , ela falhou.  Vamos falar sobre primeira e segunda guerra com o passar do ano letivo. E agora uma bem fácil . O que significa Tiranossauro rex e em que Era ele vivia ?

    A medida que Friendrich foi fazendo as perguntas e ganhando carisma com os alunos o Diretor viu que sua presença ali já era desnecessária e foi embora.

    Lenna cutucou mais uma vez  Stafana e ela entendeu que eu queria sair da sala  de maneira imediata, e então pedimos licença ao professor , ele olhou meio desconfiado as  duas saindo ao mesmo tempo , mas resolveu as deixar ir.  Stefana deu a desculpa  elas beberam  muito refrigerante na cantina  e por ter efeito diurético as  deixaram  com vontade constante de ir ao banheiro. Bem diferente do argumento anterior que Lenna dera ao diretor.

    Lenna checou  o banheiro  para que ninguém escutasse aquela conversa. Abriu  boxe por boxe. E certificando-se que não havia outra viva alma ali , despejou o que estava sentindo.

    Lenna – Estou confusa Stefana.

    Stefana –  Sobre o que ? Você me parece meio pálida e está suando frio. Porque a pressa de virmos para cá , está passando mal ?

    Lenna – É , acho que sim... Stefana , eu preciso que você me fale : Já se sentiu calafrio ao olhar para alguém ? Stefana – Calafrio ? Não.  Quem ta te dando calafrio ?

    Lenna – O Friedrich

    Stefana – Esta com medo do professor ?.

    Lenna – Não é medo , é algo diferente , é como se ele fosse um pão quente que acabou de sair do forno e da vontade de ficar cheirando... Há, olha só ,  eu estou adquirindo a sua mania , que você adquiriu da sua mãe de fazer metáforas com coisas envolvendo culinária .

    Stefana – É uma sensação de atração física ou romântica ?

    Lenna – As duas coisas.

    Stefana – Que mais ?

    Lenna – Como assim mais ?

    Stefana – As outras coisas que te perturbaram quando estava na sala com o  Friedrich

    Lenna – Eu me senti pequena e boba, intimidada e com as pernas tremendo, porque eu achei ele lindo e encorpado. Acho que uma das pessoas mais elegantes que eu já vi. E ele é de uma beleza acima da média, eu estou errada?

    Stefana – Voce sentiu tantas coisas por ele em tão pouco tempo. Acho isso deve ser paixão.

    Lenna – E paixão é assim ?

    Sefana – É . você nunca se apaixonou ?

    Lenna – Não e nunca senti nada assim por ninguém antes.

    Stefana – Frase típica de quem está apaixonado. Em fim, você tem quinze anos e nunca passou por essa experiência ,  isso é bem tardio. Normalmente acontece dos dez aos doze.

    Lenna – Não tem nada de errado se apaixonar a primeira vez aos quinze , eu acho...E você já se apaixonou ? pode me  diz como foi ?

    Stefana ficou pensativa , olhou para as paredes do banheiro , mas verdade ela olhava para dentro de si mesma procurando a alternativa para escapar da historia que acabaria tendo que contar caso revelasse a verdade. Paixão e amor eram experiências das quais ela não costumava se abrir muito.

    Stefana – Eu já me apaixonei uma vez ,  e  apenas com uma pessoa eu realmente concretizei um relacionamento.

    Lenna –  Já namorou então ?

    Stefana – Já.

    Lenna – A gente se conhece a cinco anos e só agora você me diz que eu sou a solteirona do grupo. Eu achei que você nunca tinha namorado , assim como eu , agora estou realmente me sentindo desesperada. Mas o que deu para você resolver me contar que já namorou?  Eu desconfiava, entretanto você se recusava a falar de romance e de garotos, então nunca pude ter certeza se você já tinha trocado uns beijinhos com alguém.  

    Stefana – Como você se apaixonou, eu fico sem escolhas a não ser te ajudar com algumas das experiências que eu tenho, e a paixão ela pode ser uma tortura as vezes, e para evitar que você venha a sofrer , eu devo revelar que eu já me relacionei e que eu posso te auxiliar se você se senti perdida e febril.

    Lenna – Como eu estou me sentindo nesse exato momento ? passou um pouco  ao conversarmos , mas provavelmente vai voltar assim que nos retornarmos para a sala de aula.  E ai quem foi o azarado que namorou com você  ?

    Stefana – Começa com V.

    Lenna – Victor ?

    Stefana – Não , não vou dizer o nome do meu namorado ...do meu primeiro  ex-namorado.

    Lenna – Segredos , segredos .  Você tem mais de quatrocentos anos , você presenciou a renascença , humanismo a descoberta do novo mundo, a revolução francesa! Você me contou tudo sobre a sua vida e os séculos passados, menos que já tinha namorado ! Para que tanto segredo ?! Pelo menos me diz como ele era.

    Stefana - Tá, que coisa ! Ele era um artista.

    Lenna - Então ele era famoso ! Tipo o Michelangelo ,  Davince ?

    Stefana - Ele não era famoso. Ele fazia quadros por passatempo, eram belos de verdade, mas não vendia nenhum , ele dava para min , ele pintava o campo a cidade ,  e um dia ele quis  fazer uma pintura minha , que ficou manchada de sangue quando ele tossiu sem querer em cima dela…ai ele não parou mais de tossir e morreu …era tuberculose uma doença muito comum na época que estava provocando o óbito de muita gente .

    Lenna – Ah eu não fazia ideia que era uma história assim tão pesada , desculpa! De verdade...Estou mau agora por você. Acho que por isso você não toca no assunto , você permanece de luto durante...  Anos ? quando foi que vocês se relacionaram ? Agora é minha vez de tentar te ajudar,  eu entendo de luto , meus avos paternos morreram e eu era muito apegada a eles....Ah desculpa de novo, a minha curiosidade as vezes é  inapropriada.

    Stefana - Olha tudo bem ! Mas é que ele era realmente especial eu não sou de falar muito dele porque , não quero ficar sentindo o vazio que ficou a minha vida quando ele se foi.

    Se Lenna começasse a perguntar de mais sobre a vida amorosa da Stefana decerto  ela acabaria  derretendo , rápido como gelo no sol quente . Stefana ficou com um olhar profundo e melancólico com o qual Lenna jamais presenciou, talvez porque o amor que ela sentia pelo seu primeiro e único namorado fosse um tipo de amor , além do que a maioria das pessoas normalmente  possuem, um caso raro que a raiz dos laços chega até a alma.

    Quando Sexta-Feira acabou e o final de semana veio,  Lenna lamentou-se pois ela tinha uma vontade verdadeira  de continuar tendo aulas com o Professor Berna ,  e por consequência , ela passou a se interessar mais por história no entanto ainda incapaz de pegar em um livro para ler . Stefana a aconselhou que Lenna deveria encarar sua paixão com alegria e que a tristeza só deveria aparecer junto a paixão em caso de rejeição , e como Fredrich nada sabia , do coração flechado  de sua aluna , não  havia ainda por parte dele objeção contra o amor dela.

    (Mais trabalhos , baixo )

    https://brunoronald.deviantart.com/ 

    https://facebook.com/NoCoracaoDaFantasia/ 

    https://brunoronald.tumblr.com/

    #drawing  #draw #art #artist #digitalart #cute #gorgeous #arte #desenho #artistsoninstagram #anime #animegirl #cosplay #girl #cosplaygirl #beauty #beautyful #stylish #japan #usa #brasil #deviantart #painting #illustration #illustrator

    View Full
  • sentimentalizando-br
    13.10.2021 - 4 days ago

    19h33

    Este será um texto desnecessariamente longo.

    Eu sempre gostei muito de escrever. Sempre foi uma alívio emocional expressar em linguagem poética todo o misto de sentimentos que vivo diariamente. Não, não é romântico ser assim, é bem cansativo na verdade.

    Estar sempre imerso a um oceano de sentimentos incompreensíveis, desconexos e incontroláveis não faz da minha vida um mar de rosas. Eu tenho que lidar diariamente com o estrago que isso trás.

    Eu me tornei uma bomba relógio. As vezes passo noites em claro pensando em apenas uma palavra que eu disse que pode ter sido interpretada de forma equivocada. Isso, você leu corretamente, “pode ter sido”. Essa frase me assombra durante toda a minha existência. PODE TER SIDO. 

    Essas situações hipotéticas criadas nesses momentos de descontrole fazem noites virarem dias e meus olhos não terem descanso.

    Minha mente não para. Eu tenho energia mental de sobra. E escrever sempre é uma boa forma de dar vazão a tudo isso. A escrita me regenera, reestabelece meu centro, me trás alegria. Então, por esses e outros motivos, as 19h33 eu estou aqui escrevendo sobre meu emaranhado de sentimentos de forma desnecessariamente longa.

    View Full